15 janeiro 2017

Fanfic: Ela é para o meu irmão - Cap 51



CAPA/TEXTO FIC: Jessica_keli TLM.

Precisava de férias! E faltavam duas semanas para as férias no colégio mais os treinos continuariam.
Então precisei me explicar para o treinador que daqui a duas semanas viajaria. Enquanto comentava com ele sobre a semana que ficaria fora pensava como diria isso as meninas e Makena.
Ao descobrir que passaria minhas férias longe dela e o meu aniversario seria bem na semana que eu viajaria para o Brasil quase teve um troço.

– mais oque?! Você vai passar com as suas amiguinhas brasileiras em vez de passar com as suas amigas que ficam aqui todos os dias com você?! – disse no corredor abrindo a porta do armário.
– eu vou voltar no dia seguinte e aí marcamos de ir ao shopping ou sei la.
Senti que ela me fulminava com os olhos então eu não a olhei.
– Estou revoltada! Como?!
Indaguei e ri – cara, ano que vem eu passo aqui.
– não, isso é uma falta de respeito comigo.
– quer ir comigo? – perguntei rindo.
– não – olhou de cima abaixo para mim enciumada.
– nossa, depois eu sou a doida insegura. – falei abrindo meu armário.
E ela me olhou torto, estava pensativa e me preocupava quando ela ficava assim me estudando.
– por que quer ir justo daqui a duas semanas? É por que meu irmão vai chegar nesse período?
Soltei um ar mostrando que nem havia pensado nisso, mais parece que ela não acreditou. Mais realmente não havia pensado, mais era uma ótima incentivo.
– Eu só preciso de férias EEE.. daqui a duas semanas é as nossas férias, por que eu iria antes ou depois disso, hã?! – ri.
 Ela cruzou os braços.
– e seu irmão chegar daqui a duas semana só foi uma coincidência, não posso viajar antes das férias começar, esqueceu? Estagio, treino, escola.. – mostrei o quanto era obvio abrindo os olhos.
– hum.. – disse e sorriu de lado – já que falamos sobre meu irmão.
– quem começou falando dele foi você – peguei o livro no armário e ela continuou.
– tá, já que EUU estava falando do meu irmão, preciso te perguntar, já conversou com ele? Porque ele tinha me dito que você não tem o atendido.
Respirei pesado – e eu não vou.
– há, para de graça, conversa logo com ele, olha ele é orgulhoso igual a você, depois não vai querer ligar para você e aí..
– que ele pare.
Ela jogou o olhar para o alto fechando o armário e fechei o meu em seguida.
– Não vou me meter mais no meio de vocês dois, por que se não depois sobra pra mim.
– É bom mesmo. – falei esticando os lábios.
Voltamos a caminhar pelos corredores em direção a sala.
– aí, isso é tão injusto iriamos fazer uma festa surpresa pra você! Que surpresa eu irei fazer agora?
Ri – me desculpe, mais a oferta de ir comigo para o Brasil ainda esta de pé, pensa direitinho.
– não! – disse enciumada abraçando seus livros – você vai me deixar de lado pra ficar com as suas amiguinhas lá.
– vou nada, elas são legais você vai adorar e todas falam bem o inglês, já te falei
Sorri e ela enciumada deu de ombros – não.
– nossa mais você é mais ciumenta que seu irmão.
– meu irmão não é ciumento, é? – riu.
– Vai pensando que não – ri e completei – mais agora ele não é mais, agora ele é uma pessoa segura, muito segura – ironizei.
– a para de graça – empurrou meu ombro com o seu.
– o homem mais seguro que já vi – brinquei.
- - - - - - - - -
Passou uma semana e meia e mesmo com aquela mensagem na caixa postal Taylor sempre me tentava ligar a noite e eu sempre fazia a mesma coisa, recusava sua chamada e desligava o celular, muitas das vezes eu me lembrava a noite e já desligava o celular antes mesmo dele ligar.
Aquelas mensagens pararam e eu não desistia de procurar quem era.
Consegui olhar o celular de todos da minha casa em dias diferentes e nem eles receberam nenhuma mensagem. Nem Adria.
A Adria e eu estávamos falando aos poucos, mais não com muita intimidade e Ashley a perdoou de vez, mais não estavam próximas como antes, mais ainda saiam juntas de vez em quando.
Evan não me dirigia a palavra dentro de casa, mais sempre quando chegava no final da tarde o seu CD estava em cima da minha cama.
Toda sexta-feira quando minha mãe ia para uma igreja ali perto com a Marli a casa ficava silenciosa, mais na varanda se ouvia o som do seu violão.
Uma noite antes de eu arrumar minhas coisas para viajar vi o CD novamente em cima da minha cama, Era um CD preto, achei que ele cantasse RAP mais pela aparência do CD era Rock.
Ele parecia estar compondo novas musicas sentado na varanda da casa e dessa vez me deixou curiosa ao ouvir do meu quarto, parei próximo a minha porta.
Sua voz era boa, era merecedor do sucesso que estava fazendo..
Mais a letra da sua musica me fez refletir em que Marli vivia dizendo.
“ Mais eu não vou deixar tudo se perder e ter você é o que me importa mais..
Tudo acontece entre nós a chance que eu poder te levar..
Foi você! Que fez meu mundo desandar e me perder ao te encontrar
Se conto as horas para te convencer, que é você e! não me importa mais ninguém!
Pra te ter vou mais além e nada vai tirar você de mim!”.

Respirei fundo nem tendo coragem de sair do quarto, até por que o que diria ouvindo aquelas musicas?
Olhei para o CD em cima da minha cama, ele não se importava de escrever sobre oque sentia, sobre o que esperava?! Por que algumas pessoas diziam que isso era bonito, mais para mim era motivo de vergonha.
Enquanto ouvia cantar pensei. O que ele pretendia que eu fizesse ao ouvir aquele CD?
Eu ainda gostava dele, mais era pelas lembranças do passado, não conseguia mais vê-lo como um namorado, era estranho. Na verdade quando pensava no Evan era somente na vontade que eu tinha dele voltar para o Brasil..
Despertei-me ao ouvir passar para outro refrão. Não era mais o ritmo da musica anterior..
“É assim que vai ser
Se eu pegar de jeito
Ela vai se render
Você ficou pra trás

É assim que vai ser
Sei que não quer perder mas
Se não deu o trato, então eu faço, agora
O que ela já quer mais”

Fechei a porta e fui deitar, enquanto ouvia sua voz bem baixa.
Amanhã compraria minha passagem e no dia seguinte iria para o Brasil passar pelo menos uma semana lá.
- - - - - - -
Em Nova York, Taylor estava em um restaurante com toda a equipe de filmagem e se afastou deles para tentar mais uma vez me ligar.

Ao chegar em um canto do restaurante discou meu numero e esperou chamar.
Chamou três vezes e a chamada foi recusada.

Seu coração acelerou ao notar que eu estava recusando sua ligação, isso era um sinal de que eu sabia que era ele.

– me atende Emily.. – sussurrou.

Marie interrompeu suas tentativas trazendo uma bebida.
– iai..? – sorriu.

Ele tentou sorrir e ela olhou para o seu celular.
– não disse que daria um tempo?

– Se eu não falar com ela não irei relaxar..

Ela soltou um ar – uma amiga me convidou para ir há uma boate aqui perto, ela vai levar um amigo você não quer ir com a gente?

Ele olhou para o celular voltando a digitar meu numero, não tinha prestado muito atenção no que ela havia dito e tampou o visor do celular com as mãos.
– você me ouviu? – soltou uma risada artificial que o fez o rir.

– me desculpe, não prestei muito atenção, estou uma pilha de nervos – passou a mão no rosto.

– Estou vendo – tirou sua mão do celular dele e sorriu.

– acho que será uma boa ideia você se distrair..

– ir para esses lugares não vai ser uma boa, estou tentando reatar se ela souber que. – o interrompeu.

– hey, hey! Você precisa seguir em frente, vai mesmo ficando atrás dela assim que ela fará isso com você sempre! Eu sou mulher, sei muito bem sobre o que nós pensamos.

– há.. eu não vou.. – sussurrou com o olhar vago e ela procurou seu rosto.
– vamos! – sorriu – vamos porfavor.. só uma horinha! – deu um sorriso maroto pegando em sua mão e balançando.

Enquanto ele pensava que era uma ideia, se iria mesmo faze-lo esquecer-se de mim.
– vamos?

Ele a olhou morrendo de vontade de ir, estava bem curioso para saber como lá seria já que nunca havia ido há uma boate de Nova York.
– iai? – disse ela o despertando.

– tá, vamos. – ela pulou sorrindo.

– eba!

– ôh, mais vamos ficar só uma hora, esta bem?

– por mim tudo bem! – sorriu.
- - - - - - - - - - - - - -
Depois de todos serem liberados Marie arrastava Taylor as 23:00h para a boate.
Cada passo que dava até o destino, mais vontade tinha de voltar para o quarto dormir.

Na frente da entrada da boate Marie puxava Taylor empolgada enquanto Taylor meio que se arrastava querendo desistir da ideia.
– hey, vamos, vamos! – Disse ela o puxando pelo braço e acompanhou seus passos.

Na entrada estava sua amiga que gritou – Marie! – e ela soltou seu braço indo abraça-la.

 Taylor voltou a caminhar calmamente colocando suas mãos em seus bolsos.
– eu trouce o Taylor! – disse Marie enquanto Taylor se aproximava e eles sorriram.

– Taylor – puxou pelo braço novamente – Essa é a Clara.

Ele sorriu – Oi Clara, prazer em conhece-la – retirou sua mão do bolso e a cumprimentou.

– Ola! Você é mais lindo pessoalmente! – ele esticou os lábios sem graça e olhou para Marie que riu.

– Ele é meio tímido, daqui a pouco você se acostuma. – Disse ela rindo e olhou para o rapaz ao lado.

– Marie esse é o Chris Titone, um amigo que conheci aqui.

– Oi Marie, Prazer em conhece-la. – Disse ele a cumprimentando com um beijo no rosto.

Ele sorriu para Taylor, pareciam se conhecerem.
E clara olhou para os dois e perguntou – vocês se conhecem?

– Já nos conhecíamos – disse Chris, sem muita intimidade sorriu.

Taylor sorriu – O Conheci na festa do Adam.

– em falar nele, você nunca mais foi nos visitar.

– estou gravando direto esse tempo e nem pude fazer nada.

– Há, só falar que a gente vem um dia te ver, não some não.

Taylor sorriu – bom saber, olha que chamo mesmo hem.

– não pense duas vezes.

Elas ficaram prestando atenção surpresas por saberem que eles já se conheciam há um tempo.

– bom, já que vocês se conhecem, diga ao Taylor o quanto lá dentro não tem nada demais. – Disse Marie rindo.

Chris levantou uma das sobrancelhas.
– como Assim Taylor? Esta com medo do que? – riu.

Ele sorriu sem graça, não era exatamente medo de entrar ali. Era medo de saberem que estava ali. No caso “eu”.

– não quero que façam alarme por isso.

– e não farão, já entendo todos os problemas que você passa e eu sei perfeitamente fazer com que ninguém diga algo negativo sobre sua visita aqui.

Taylor sorriu, até acreditou mais rapidamente duvidou.
– é sério, mais não extrapole se não ficará difícil de inverter a situação.

– há, eu não farei nada que me faça chamar atenção.

– então ficará mais fácil negociar com o pessoal então.

– pessoal? – perguntou Marie.

– É, eu conheço todos os espiões de plantão daqui, estão loucos por noticias, com uma ligação, todos eles calam a boca.
Levantou o celular e se afastou – já volto, deixa-me resolver isso logo.

Deu seus passos atrás e se afastou, Taylor ficou impressionado, por que finalmente poderia estar a vontade em um lugar “É claro, se fosse realmente verdade”.

– Ele vai mesmo conseguir fazer todos eles manterem em segredo? – perguntou Marie.

Clara riu – olha, se ele disse é por que ele consegue pelo menos com a mídia, agora se alguém tirar foto sua lá dentro acredito que só saberão que você estava aqui, mais o que aconteceu, não.

Ele riu – pode ter certeza que ninguém vai ter o que contar, por que eu mesmo não irei fazer.

Elas sorriram.
Clara o olhou – vocês formam um lindo casal, parabéns.

Eles trocaram olhares e Marie sorriu.
– Desculpe Clara, nós não somos um casal, eu tenho namorada.

Clara olhou para Marie, como se quisesse fazer um ponto de interrogação em sua testa.
– mais.. vocês não estão.. – Chris a interrompeu vindo até eles.

– pronto, já podemos entrar numa boa.

– uhul! – disse Marie rindo.

– valeu cara – Disse Taylor dando tapa de leve em suas costas.

– nada, vamos lá.

Enquanto estavam indo a entrada Marie segurou sua mão e ele procurou seu rosto.
– o que foi? – perguntou Marie dando de ombros e ele desistiu de dizer alguma coisa, precisavam mesmo ficarem assim em publica, ainda mais ali.

Ao caminharem para dentro da boate ouvia a musica ficar cada vez mais alta.
– vamos para lá, temos uma mesa reservada. – Disse Clara em meio a musica.

Ao caminharem até lá muitas pessoas reconheciam Taylor ao pedir licença.
Chegando a mesa eles se sentaram.

– vou buscar uma bebida para gente. – Disse Marie e olhou para Clara – já volto.

– ok – sorriu ela e olhou para Taylor.

Chris esperou Marie sair para olhar para Taylor.
Clara ficou seria – Taylor, você disse que tem namorada, né?

Chris soltou um ar – ué, não é a Marie?

Taylor sorriu de lado – não, é uma longa historia – olhou para Chris – talvez um dia conte, não quero pensar nisso agora, quanto mais penso, mais sinto vontade de ir embora.

– poxa Taylor, você esta enganando sua namorada para vir aqui? Não tem vergonha não? – riu Clara.

– não, não é isso. – Taylor se justificou.

– o que é então? – Disse Clara mostrando sua insatisfação.

– estamos brigados.

– ham, iaí você vem para boate com a Marie.. – ironizou – você pretende mesmo voltar? – riu.

Taylor olhou para Chris que riu – deixa ele, ele deve ter seus motivos.

Perguntou Clara – você concorda com isso?

– não disse que concordo, mais se ele esta aqui é por que teve motivos paras ter coragem de vir aqui.

– como?! – perguntou Clara indignada com a compreensão de Chris e Taylor se preocupou, eles estavam se desentendendo?

– Clara! – disse Chris a encarando, para que ela se calasse.

Ela espirou fundo, – mais se ele brigar com a namorada dele e não voltar nunca mais por que ficou aqui com a gente não é culpa nossa, ele ainda tem chance de ir embora.

Taylor soltou um ar de riso – estou bem melhor agora, pensei que não sentiria mais como Chris disse. – o olhou – eu tenho meus motivos.

– viu – Disse Chris fazendo careta para ela e ela retribuiu fazendo Taylor sorrir.

Marie prendeu atenção de todos chegando com as mãos ocupadas, dois copos em cada mão e dois dos copos estavam prestes a cair.
– tomem, peguem.

Taylor pegou a bebida e passou uma para Chris, notaram que a bebida era bem bonita, bem bem colorida.
– o que é isso? É maneiro – riu olhando para o copo.

– esqueci o nome, prova! – disse Marie.

Ele provou já reprovando por saber que havia álcool.
Ao tomar sua expressão mudou para satisfeita, seus olhos brilharam.
– o que foi? – perguntaram eles.

– Nossa! Isso é muito gostoso!
Eles sorriram.
– Estou vendo que alguém procurará mais motivos para estar por aqui. – brincou Clara.

– É uma boa ideia! – Brincou Taylor.

Tomou a bebida de uma vez, enquanto chegava ao final Marie abriu os olhos.
– Taylor! Vai com calma, isso tem muito álcool!

– quero mais um, onde foi que você pediu? – Disse ficando animado com a ideia de ficar por ali.
E Marie receosa com o seu sorriso apontou para o bar.

– Vou lá, bora lá Chris?!

Chris levantou seu copo ainda cheio e sorriu.
– tá, esquece, vou sozinho.

– Taylor, acho melhor esperar um pouco – disse Marie e foi ignorada.

Depois de meia hora Taylor já puxava Marie para dançar e ela não estava tão animada quanto antes.
– Taylor, você bebeu muito, se controla! – sussurrou em seu ouvido e ele riu a abraçando.

– por que esta me abraçando, pedi para você se controlar!

– Desculpa! Pensei que estava pedindo um abraço – Marie riu jogando olhar para o alto.

– estou pensando seriamente em te levar para casa – falou ela.

– o que? Ir para casa? Não, eu moro em Los Angeles! – brincou abrindo os braços.

– quando disse para casa, me referia ao seu quarto de hotel!

Ele mordeu o lábio inferior.
– o que foi Taylor? Por que me olha assim.

– você pode me levar – disse se aproximando e Marie riu pela sua forma ousada.

Ele se aproximou do seu ouvido e sussurrou – já que a Emily fala tanto que eu faço, nós podemos fazer de verdade.
Ela enrugou a testa e sussurrou – homem definitivamente não presta, até aqueles que pensamos que são bons, não é?!

– oque? – perguntou ele rindo.

Ele sorriu abraçando sua cintura.
Ela sentiu algum flash e olhou para os lados procurando onde teriam tirado.
– Taylor, disfarça e encosta seu rosto no meu ombro estão tirando foto da gente.

– Estão? – perguntou olhando para o lado mais Marie se preocupou de notarem seus olhos avermelhados e o puxou e o beijou.

Sei que ele não estava em sua consciência normal, mais para mim as únicas pessoas que dizem a verdade são as crianças e os bêbados.

Então ele realmente queria fazer tudo que fazia.
- - - -
Em casa eu não conseguia dormir enquanto ouvia Evan cantar na varanda.
Sentia uma sensação ruim, talvez fosse saudade do Taylor.

Peguei meu celular para olhar as noticias e acabava de saber que Taylor estava em uma boate com Marie e dois amigos.

Pensei, será que era Ashley e Tarick?! Se fosse poderia estar mais tranquila..

Mais a esperar as fotos carregarem e ver o que vi, meus olhos saltaram e me levantei da cama assustada.
Olhei as fotos que ele havia tirado com os fãs e seus olhos estavam totalmente irreconhecíveis.
Inchados, avermelhados e até suas fotos com os fãs estavam muito mais muito intimas, o que é? Ele ficava todo amoroso assim bêbado?!

Eu vou querer explicações!
Mais pera aí, ele não me deve mais explicações! Meu coração acelerou.
Levantei-me andando de um lado para o outro no quarto, deveria ligar?
Há! Mais se eu ligar justo agora, o que direi?! Ele esta bêbado!

Respirei fundo, o que eu faço? O que eu faço?!
Ligo e peço para ir para o Hotel? Ele voltaria?

Digitei seu numero e começou a chamar.
Chamou quatro vezes e foi para caixa postal.

Marie, Clara e Chris estavam sentados chocados com Taylor estar em cima do palco com a banda cantando muito mal junto com o vocalista.
- - - - - - - - - - - -


No outro dia depois do colégio queria arranjar um tempo para ir comprar a passagem, mais Sandra, Nanda e Hanna ficavam me chamando para todos os cantos toda vez que decidia ir embora.
Por muitas vezes eu fiz a vontade delas mais já estava ficando muito tarde e eu perderia as passagens para o dia seguinte.

– Chega meninas, eu preciso mesmo ir – falei tentando desviar delas no ginásio.
Elas estavam aprontando alguma coisa.
– cadê a Makena? – perguntei e elas trocaram olhares e sorriam.

– olha Emi, a gente não queria que você fosse para o Brasil amanhã.

Ri – mais por que? Prometi a vocês que tentaria comprar minha passagem para voltar antes do meu aniversario.

– por isso mesmo seu aniversario é daqui a três dias – Disse Sandra.

Hanna comentou – É, e a gente te conhece, sabemos muito bem que não iria querer voltar antes do seu aniversário.

– nós não queremos que vá para o Brasil essa semana.

– por que? – perguntei.

– vamos lá na sua casa e aí depois você decide o que quer fazer.. – Disse Sandra me puxando pela mão.

– mais o que vocês estão aprontando? – perguntei rindo.

- - - - - - - - - - -
Fomos para a minha casa e estive muito mais muito curiosa, será que o Taylor voltou três dias antes e elas achavam que me convenceria? Pensei chegando em frente a minha casa.
– A não rola se for o Taylor estou fora – dei meia volta indo em direção a rua.

– não! – disseram em couro rindo.

Sandra riu – para de graça, boba.

– Makena! – Hanna.

– Fecha os olhos dela – Disse Hanna e Sandra tapou meu olhos.

– Gente, o que é isso?! – perguntei rindo e muito mais muito curiosa.

Ouvi muitos passos, estava na cara que era uma festa surpresa.
Sorri ao ouvir os passos me rodearem de frente para minha casa e ouvi a risada baixa da Makena.
– Makena?! – perguntei.

– já – ouvi Makena dizer e Sandra tirar as mãos dos meus olhos.
Eu estava em choque, muito feliz pelo o que via!
Todas as minhas amigas estavam a minha volta e gritaram – Feliz aniversario!

Fiquei boquiaberta e todas vieram em cima de mim para me abraçar, o que me fez cair em lagrimas.

2 comentários:

  1. A Emi ta começando a ficar muito chata, acho que ela deveria ouvir a Makena. Ainda acho que vcs pularam um capitulo pq ficou meio sem sentido acabar um com a Emi encontrando o Evan e no outro ela dando um flagra no Taylor.

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA