01 março 2017

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 45






*** Carol POV ***



Com a aproximação do aniversário de Taylor eu estava correndo contra o tempo. Era muita coisa para organizar. Contratei as bebidas, comidas, decoração e mandei os convites. A lista de Taylor tinha 50 pessoas, mas prevaleceu a lista do Tarik que tinha 100. Eu estava entre as fotos da Gucci e a festa, mas estava feliz, pois há muito tempo eu não me sentia tão ocupada assim. O que mais me chamou atenção foram os nomes Kristen Stewart e Robert Pattinson, uou, eu os conheceria pessoalmente…

Bom, Rose estava distante… e para a minha tristeza ela não iria ao aniversario, pois viajaria para visitar os seus pais. O momento dela era delicado, divórcio, etc.

Natalie e Patrick também não iriam, porque Patrick faria uma campanha em New York e ela o acompanharia, quem diria.

Já eu estava muito ansiosa para conhecer a família dele. Daniel, Deborah e Makena, eu sonhava com esses nomes… estava ansiosa para saber o que eles achariam de mim.


*** Taylor POV ***



-Tarik, essa lista é enorme! Eu nem tenho tanto amigo assim.

-Tem sim! E nunca vem todo mundo, você sabe disso.
-A Carol está organizando tudo? – perguntei
-Sim, quase tudo. Ela é ótima nisso.
-Ela é ótima em tudo! – eu disse
-Hum, para quem não queria relacionamento ou se apaixonar até que você está super bem.
-Engraçadinho.
-E seus pais?
-O que é que tem? – perguntei
-O que falaram sobre o namoro?
-Bobagens, meu pai é irredutível né. Você conhece.
-Conheço, mas é só eles a conhecerem e pronto, isso passa!
-Eu nem a trouxe aqui ainda porque meu pai não quer. Disse que é muito cedo.
-Depois da festa você traz.
-Isso é foda. A casa é deles e as regras também. Eu preciso muito morar sozinho.
-Hum, isso vai ser bem difícil, você sabe.
-Por que tem que ser difícil? Eu me sustento, tenho dinheiro para comprar uma casa.
-É, mas não é bem assim, seu pai toma conta dos negócios e é casca dura. Vai ter que convencê-lo bem.
-E se eu fizer isso agora é bem capaz de eles terem raiva da Carol pensando que é ela que está me influenciando, etc.
-É, eu ia falar isso. Deixa mais para frente.
-Ainda bem que ela mora sozinha - eu disse
-É, você tem para onde fugir.

Eu estava apreensivo com essa história dos meus pais ficarem reclamando do meu namoro. Isso nunca aconteceu! Sempre foram mais rígidos, mas ninguém se metia na minha vida amorosa.



*** Carol POV ***



Dia 11 de Fevereiro chegou! Eu estava animada. De manhã fui até a casa de Tarik ver os últimos detalhes e voltei para casa para me arrumar. Taylor me buscaria de noite e chegaríamos juntos na festa.

-Oi, Carol.
-Oi, tudo bem?
-Tudo! Está pronta?
-Sim, pode vir.

Suspirei e retoquei a maquiagem. Era a hora de conhecer a família e os amigos mais próximos.

Chegando à mansão de Tarik os primeiros que eu vi foram a dupla dinâmica: Kristen e Robert. Que na hora vieram nos cumprimentar.

-Parabéns! – dizia Kristen
-Obrigado.
-Parabéns, Tay!!! – Robert completou.
-Obrigado, cara.
-E então, você é a famosa Carol? – disse Kristen
-Sim, muito prazer! – disse tímida.
-O prazer é meu – vira para o Tay - ela é linda, Tay - completou a “Bella”.
-Prazer, sou Robert.

Wow, ele era bonito, mas desarrumado.

-O prazer é meu - disse corando.
-Bom, vou lá dentro e depois encontro vocês - disse Taylor me arrastando pela casa.

Passamos e cumprimentamos todos. Alguns me olhavam torto, outros com olhos simpáticos, mas eu estava mesmo interessada na família dele.

Makena foi a primeira que eu vi. Como parecia com ele.

-Oi,. Caroline – ela disse animada
-Olá, Makena! Prazer.
-O prazer é meu! Como você é mais linda pessoalmente.
-Ah, obrigada.
-Pela primeira vez meu irmão namora um mulherão de verdade.
-Engraçada – ele ri - Onde estão meus pais? – perguntou Taylor.
-Na cozinha.

E lá fomos nós. Eu apertava a mão de Taylor e ele ria. Ao entrar na cozinha lá estavam, Daniel e Deborah.

-Pai, mãe, quero apresentar uma pessoa.

Eles viraram e olharam para Taylor, e automaticamente olharam para mim.

-Carol, estes são meus pais, Daniel e Deborah.
-Muito prazer - eu disse estendendo a mão para os dois.
-Prazer. Caroline, certo? – disse Deborah.
-Certo - corei
-Prazer, Caroline - disse Daniel com a expressão fechada.

Para quebrar o clima eu puxei assunto:

-Estão gostando da festa?
-Sim, só a comida que está muito fraca, poderia ter sido melhor, Taylor - disse Deborah.

Eu fiquei tão sem graça, pois eu escolhi a comida.

-Mãe está tudo muito bom, não exagera - disse Taylor sem graça também.

Eu nem me atrevi a dizer que eu tinha organizado tudo, senão já queimaria meu filme no primeiro dia.

***

Taylor foi circular pela festa e eu fiquei deslocada. Não conhecia ninguém além dele e Tarik. Aproveitei para verificar se faltava algo, se as bebidas estavam ok… enfim, só trabalhei, mas estava feliz em ver a felicidade dele.

Resolvi ir até a cozinha para repor os salgados, e então Deborah ainda estava lá.

-Oi, precisa de ajuda? – perguntei
-Não, obrigada - ela respondeu séria e continuou o que estava fazendo
-Vou repor os salgados - eu disse pegando uma bandeja.
-Ah o garçom já fez isso, acabei de pedir - ela disse
-Ah, ok.
-Caroline, pode ir curtir a festa. Nós que somos os anfitriões cuidamos disso - ela disse.

Senti como se estivesse invadindo o espaço deles. Me senti como se não fizesse parte daquele mundo.

-Se precisar de ajuda pode me chamar - eu disse e sai da cozinha

Fui até o jardim respirar. Eu não sou burra! Não gostaram de mim, é óbvio. Eles me olhavam como se eu fosse uma ET, uma aproveitadora de menores… a mãe dele me olhou de cima a baixo e eu me senti como se estivesse pelada.

Depois de meia hora sozinha, sentei em frente a fonte que tinha no jardim e peguei meu celular. Aproveitei para enviar uma mensagem a Rose:


QUERIA QUE ESTIVESSE AQUÍ.


Taylor fazia de tudo para que eu não ficasse sozinha, mas era impossível. Tinha muita gente e eram pessoas que ele não via há séculos, ou seja, precisava dar atenção.

O tão esperado momento dos parabéns chegou. Taylor ficou atrás da mesa do bolo e eu fiquei distante, afinal o momento era dele. Quando o olhei ele me chamou:

-Vem aqui mais perto – ele fazia sinal com a mão.

Quando ia me aproximar mais os pais dele se aproximaram da mesa, como se fizessem a guarda. Eu parei onde estava, talvez fosse o meu limite. Taylor continuava me olhando e me chamando, mas eu escutei “deixa ela filho”. É, eu realmente não era bem vinda.

Fiz sinal de que estava tudo bem e que era para ele continuar. Cantaram parabéns, o garçom começou a partir o bolo e ele veio me dar um beijo.

-Obrigada por essa festa, sei que foi você que fez tudo - ele dizia baixo e me beijou.

Depois do beijo ele disse em meu ouvido: Eu te amo.

Eu consegui dizer um “eu também” super baixo e logo fomos interrompidos por Makena que queria falar com o irmão. E eu, mais uma vez, fiquei sozinha na festa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA