14 março 2017

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 50





*** Carol POV ***

Meus pais e Christian me olhavam sem entender a minha decisão. Eu estava segura e retribuía os olhares com firmeza. Foi então que meu pai deu o primeiro sinal de vida.

-Não eduquei você para fugir dos problemas.

Fiquei surpresa com a resposta dele, afinal, para eles eu terminar o namoro com Taylor seria uma vitória, mas comecei a entender quando ele explicou:



-Apesar de ser contra, eu não quero que fuja! Você vai enfrentar isso de cabeça erguida, se gosta desse menino, fique com ele e lute.

Nossa, meu pai me fez lembrar dos filmes de guerra. Lute! Uou, quem diria…

-Eu também acho - disse Christian. – Não tem que terminar o namoro só porque a mídia está no pé e porque estão falando coisas maldosas por aí! Você mesma disse que como modelo vai ficar conhecida e é claro que qualquer cara que você namore vai ser assim. E a probabilidade de namorar alguém famoso é grande.

Mas o que era isso? Todos a favor de Taylor agora?

-Mãe? – eu disse olhando para ver se ela concordaría comigo
-Faça o que achar melhor, filha. Eu tenho certeza que terminar com ele agora não a deixaria em paz e nem diminuiria os seus problemas - falou calmamente
-Vcs não entendem, não é só a mídia que está no nosso pé. Os pais de Taylor não aceitam, eles acreditam em tudo o que sai sobre mim. Principalmente sobre o meu interesse exclusivo em me promover as custas dele - expliquei
-Ah, então tem os pais dele que não aceitam - disse meu pai
-É - foi o que consegui responder
-Mais um motivo para não terminar e provar que você não é assim.

Não é possível! Meu pai mudou de personalidade e eu não sabia!

-Estamos falando isso para o seu bem! Continue, lute pelo que quer! Faça a sua carreira, se for com a ajuda dele ou não, não importa. Seja você mesma. Continue assim filha, porque no final da vida o seu acerto de contas não será com as pessoas. Será com alguém, lá em cima.

Meu pai apontava para o céu e meus olhos enchiam de lágrimas. Ele tinha total razão. A vida era assim mesmo, as pessoas continuariam ruins e eu infeliz longe de alguém que eu amo! E para que? Para explicar para pessoas que nunca vão querer entender?

Meu pai se aproximou de mim, me abraçou e disse:

-Desculpe, mas não vou financiar este curso. Fique em LA, cuide do seu coração e do seu trabalho.

Eu continuava chorando uma cachoeira.

-E se esse lobismem te magoar eu vou até lá quebrar a cara dele e ele nunca mais será um galã de cinema - disse Christian, conseguindo arrancar um sorriso do meu rosto.
-Obrigadam pai - eu disse o abraçando mais
-Vamos, chega de chorar – ele disse se levantando.

Meu pai estava emocionado também, afinal dizer a filha dele para continuar a ser apedrejada não era fácil. Mas afinal, eu sou uma mulher ou um rato? Respirei fundo, dei boa noite a todos e fui para o meu quarto.

***


Taylor não saía dos meus pensamentos. Como por um momento eu pensei em terminar tudo e fugir para longe? Será que ele me deixaria ir? Claro que deixaria…

Meus pensamentos foram interrompidos pelo toque do celular. Era ele...

-Alô?
-Oi, liguei para falar boa noite.
-Oi, boa noite - falei sorrindo.
-Está tudo bem ai? – perguntou
-Sim, e ai?
-Tudo na mesma. Falou com os seus pais sobre mim? O que eles acham? – ele parecia ansioso
-Perguntaram porque eu não te trouxe e minha mãe disse que você é muito bonito - ele gargalha.
-É? Já conquistei sua mãe, então?
-Acho muito cedo para dizer que é uma conquista, mas um dia chegará lá - respondi
-Tomara - ele riu
-Vou dormir, estou cansada da viagem - falei
-Boa noite, sonhe comigo porque eu já estou sonhando com a sexta-feira.

Sexta-feira, pensei… ele foi salvo pela minha família. Mal sabe que eu ia terminar tudo no dia em que chegaria de viagem. Meu estômago embrulhou.
***


No dia seguinte resolvi ligar para Rose. Eu precisava dela. Precisava contar o que estava acontecendo, precisava desabafar com a minha melhor amiga.

-Rose!
-Carol, onde está? Liguei na sua casa e ninguém atendeu. Depois não consegui completar a chamada para o seu celular.
-Estou em New Jersey! Vim visitar os meus pais.
-Nossa, mas assim? Do nada? Aconteceu alguma coisa?
-Não diretamente, preciso contar o que está acontecendo.
-Ah não! Não me diga que terminou com o Lautner?
-Não… quase…. Ai eu preciso contar, mas a história é longa.
-Conta! Não estou fazendo nada agora, então posso ouvir.

Contei tudo, quase com detalhes, porque eu não gostava de enrolar muito para falar. Rose ficou impressionada com tudo e em como as pessoas podem ser más! Principalmente nesse mundo dos famosos.

-Nossa, agradeço por Tarik não ser famoso - ela dizia
-Pois é.
-Mas eu concordo com os seus pais, amiga! Fica com ele e dane-se o mundo! Vocês demoraram para se acertar. O cara está enfrentando os pais por sua causa, te assumiu para o mundo. Cabeça erguida!

Mais uma que tinha razão. Eu me sentia péssima em saber o quanto eu seria covarde, mas é fácil falar quando não se está na minha pele.


***


Quatro dias passaram rápido. Me despedir dos meus pais foi a pior parte. Christian prometeu que ia me visitar o quanto antes, assim que a namorada pudesse ir também. Bom, eu sabia que não os veria por um bom tempo.

Mandei uma mensagem para Taylor, ele me esperaria no aeroporto, então precisava combinar:




CAROL: TAY, CHEGAREI AS 2PM, ONDE NOS ENCONTRAREMOS?

TAYLOR: ESTAREI NO ESTACIONAMENTO, NO MESMO LUGAR ONDE TE DEIXEI.

CAROL: OK.

TAYLOR: BOA VIAGEM, LOVE U.

CAROL: LOVE U.


E assim voltei para LA. Depois de umas horinhas de voo, peguei minha mala e fui até o local combinado. De longe eu avistei um Fisker Karma. Uou! Ele tinha vários carros? Claro que tinha! Eu não conseguia vê-lo, mas pelos vidros tão escuros e parado no mesmo local de antes, só podia ser ele. Não era todo mundo que tinha aquele carro, não era todo mundo que tinha alguém esperando no aeroporto em um Fisker Karma, não era todo mundo que tinha alguém esperando no aeroporto em um Fisker Karma e esse alguém era Taylor Lautner… É, eu tinha sorte…

Sorri e caminhei até o carro. O porta malas abriu, afinal, ele não sairia do carro. Coloquei a mala e segui até a porta do passageiro. Sentei, tirei os meus óculos e ele fez o mesmo com os dele. E eu estava lá mais uma vez diante do sorriso mais branco e mais lindo do mundo e na hora pensei: Obrigada pai.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA