20 junho 2017

Fanfiction: Believe - Capítulo 53









Assim que li a mensagem deixei o celular dele no mesmo lugar.

Depois de um tempo juntos, nosso relacionamento ficou mais maduro. O ciúme não era mais o mesmo, mas eu não era idiota. Taylor está diferente, depois recebe uma mensagem oferecida da Marie, Tracers estava para estrear, a convivência dos dois só aumentava. O que seria pior?

Então me lembrei de uma história que minha mãe contou: uma vez ela e meu pai brigaram feio e minha mãe teve a ideia de tirar a aliança e guardar para ver se meu pai repararia. Bom, duas horas depois meu pai disse: - onde está sua aliança?

Minha mãe disse que perdoou meu pai porque ele ainda reparava nela. Nunca mais brigaram assim.

Lembrando-me disso, tive a ideia de fazer o mesmo. Fui até minha mesa de maquiagem e joias, tirei a aliança e guardei em uma caixinha de madeira pequena. Isso tudo com os olhos lacrimejados.

Comecei a pensar em tudo que passamos juntos e...

- Jenny? - fui interrompida por ele.

- Oi? - disse assustada.

- Está um tempão aqui no quarto - Taylor disse entrando e fechando a porta.

Eu nem respondi. Só o observava.

Ele entrou, foi até o closet, pegou o pijama, trocou de roupa e foi até o banheiro. Depois de 10 minutos, deitou na cama e disse:

- Não vai dormir?

Eu ainda estava parada, mas decidi ir até o closet. Só consegui responder que ia me trocar.

Vi que ele pegou o celular e começou a mexer. Devia estar respondendo a mensagem dela... Meu sangue gelou.

Coloquei a camisola mais sexy que eu tinha e resolvi fazer outro teste. Sai com a camisola e fui até o banheiro escovar os dentes e colocar uma colônia maravilhosa da Bath & Body para dormir.

Ele amava essa colônia. Saí do banheiro e ele continuava no celular. Deitei na cama de bruços. A camisola era transparente e mostrava minha calcinha pequena... Foi então, que finalmente, ele reparou.


- Jenny? - ele disse enquanto colocava as mãos em minhas costas.

- Sim? - eu respondi e me virei.

Ele não disse nada. Só aproximou o rosto do meu e me beijou. Calmo, doce, apaixonante... Assim foi o beijo. Nesse momento pensei: talvez ele ainda seja o meu Taylor e eu esteja apenas ficando louca.

Ele parou de me beijar e me olhou nos olhos. É claro que não perdi a oportunidade de perguntar.


- Tay, você me ama?

Ele fez cara de interrogação e disse:

- Como assim? Claro.

E voltou a me beijar sem dizer mais nada.

O beijo ficou mais intenso e fizemos amor. Foi intenso, mas rápido. Acho que depois de um tempo o sexo entre os casais fica assim. Ele me deu mais um beijo, foi até o banheiro, voltou e deitou pegando o celular imediatamente. Com isso, eu também levantei e fui até o banheiro.

Voltando ele ainda estava no celular. E apesar de achar que tudo poderia ser loucura da minha cabeça a mensagem não saía da minha mente. No dia seguinte tudo foi normal.

Almoçamos, assistimos a um filme e por mais duas semanas não nos viríamos mais. Taylor não largava o celular. Estava distante, realmente distante e até aquele momento não tinha reparado que eu estava sem a aliança de noivado que ele me deu.

No final da noite, Tarik ia passar em casa para buscá-lo e levá-lo para seus compromissos da semana. Viagens, coisas sobre o filme etc. Enquanto ele estava no quarto arrumando as malas e não aguentei e disse:



- Tay, você está diferente.


Ele me olhou e franziu a testa.


- Diferente? Eu? Estou nada.

Ele respondeu e continuou arrumando as malas.


- Sim, está distante - eu disse

- Sim, estamos nos vendo menos - ele respondeu.

- Não é desta distância que estou falando - eu completei.

- Jenny, por que vocês mulheres deixam para falar coisas na hora que estamos indo embora? Eu estou aqui o final de semana inteiro e você não me diz nada - ele respondeu um pouco nervoso.

- Achei que era a hora - eu disse.

- Não é a hora - ele respondeu sem tirar os olhos das malas.

- Você nem reparou que estou sem aliança. Desde ontem à noite! - eu confessei.


Ele olhou para mim e para minha mão.

- E por que está sem aliança? - ele perguntou.

- Para ter certeza do quão distante você está.


Eu respondi, ele sorriu, mas não deu a mínima e continuou arrumando a mala.


- Eu vi a mensagem da Marie para você.


Eu tive a idiota ideia de confessar. Foi então que ele fechou a cara e respondeu:


- Mexendo no meu celular?

- Não mexi. Entrei no quarto e a mensagem apitou duas vezes e quando vi no visor que era a Marie resolvi ler - me defendi.

- Jenny, apesar de sermos noivos, temos a nossa individualidade. Eu também vi a mensagem e não tem nada demais. É sobre o filme e você já está cansada de saber que ela é a atriz principal junto comigo! O tempo passa e você não acostuma?


Ele perguntou nervoso e percebi que ele só falava assim comigo ultimamente, com quatro pedras na mão.


- Com esse tipo de mensagem eu não vou me acostumar nunca. – respondi.


Ele bufou e eu caminhei até a porta para não brigar mais. Quando ia sair do quarto ele disse:


- Jenny, para de imaginar coisas! Eu nem respondi a mensagem - ele disse.

- OK.


Foi o que eu consegui responder antes de fechar a porta e ir até a sala.

Tarik chegou com Dani e eu me fiz de feliz, para que eles não percebessem nada e não parassem de fazer perguntas. Tarik levou as malas de Taylor para o carro enquanto Dani fazia umas ligações.


Taylor se aproximou de mim para se despedir:


- Tchau ciumenta! - ele disse me dando um beijo rápido.

- Tchau - respondi e sorri discretamente.


Ele nunca se despedia assim de mim. Era sempre mais demorado e sofrido. Nem parecia que só nos viríamos daqui umas semanas. Assim que todos saíram e fiquei sozinha comecei a chorar. Por tudo! Talvez pela crise pré-casamento, por estar com ciúmes, por talvez Taylor não se interessar mais por mim como antes, pela mensagem daquela oferecida, pelo cansaço com o meu trabalho, por tudo! Tudo mesmo.


De repente, ouvi um telefone tocar no quarto. Corri e quando vi, era o celular do Taylor.


No visor as siglas: MA



Gelei.



Resolvi atender.



- Alô?


Ela desligou claro.


Vi também que tinha uma mensagem dela.


"Já saiu? Me liga".


Gelei de novo. E gelei, e gelei, com o celular na mão.


Mantive a calma e liguei para Tarik.



- Alô? Tarik, oi - eu disse.

- Oi Jenny, estamos quase no aeroporto, o que foi? - ele respondeu

- Taylor esqueceu o celular dele aqui - eu disse.

- Cara, você esqueceu seu celular lá - Tarik disse e deu para perceber o desespero de Taylor ao tomar o telefone das mãos dele.

- Jenny? Desliga ele para mim? Assim não acaba a bateria - ele disse nervoso.


Que desculpinha esfarrapada, eu pensei.


- Claro, já desliguei – menti.

- Ah, obrigado. Depois Tarik dá um jeito de me entregar - ele disse

- OK, boa viagem - respondi e desliguei.


Voltei para o celular e vi também que ele havia mentido, pois ele respondeu a mensagem dela.


"Oi! Eu vi o trailer sim e está muito bom! Depois falamos mais... TL".

Depois falamos mais? Tá, confesso, não tinha nada demais na mensagem, mas pelo contexto de tudo tinha algo a mais, claro.

Eu me sentia uma idiota. Não desliguei o celular, queria ver se ela mandaria mais mensagens.

Foi então que o meu celular tocou.


- Jenny?



Eu reconhecia aquela voz... Ele sempre aparecia nessas horas... Zayn.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA