06 setembro 2017

Fanfiction: Diário de Uma Paixão - Capítulo 63






*** Taylor POV ***


Fechei a porta e fiquei desesperado. Melanie saiu do banheiro com uma cara assustada, mas ao mesmo tempo contente com a situação.

-Dá para você se vestir, por favor, e ir para o seu quarto? Eu vou tentar resolver isso – falei.
-Resolver? Vai deixar ela ficar aqui?
-Não é da sua conta, ok?
-É da minha conta sim! É comigo que você está agora.
-Melanie, eu estou com a Carol. Ela é minha namorada – ela gargalha alto.
-Ai Lautner, como você é engraçado. Ela vai ficar em algum quarto nesse hotel e você de madrugada vai para o meu, com certeza.
-Cala a boca! Vai logo embora – eu já estava perdendo a razão.
-Eu vou e espero você me procurar - e então ela saiu finalmente.

Coloquei uma camisa e uma calça e desci na recepção. Carol não estava lá, que estranho.

-Oi, boa noite, uma moça morena, bonita, passou por aqui agora? Ela estava procurando um quarto vago – perguntei.
-Ahm, não senhor - disse a recepcionista.
-Obrigado.

Olhei para os lados e caminhei para ver se ela não estava em qualquer outro lugar, mas logo avistei Tarik.

-Hei, viu a Carol? – perguntei.
-Vi, claro que vi. Ela está no meu quarto com a Rose.
-Ah é? Sabe se ela conseguiu um quarto? Bom, eu vou lá falar com ela.
-Não Taylor, você não vai. Eu preciso falar com você urgente, pode ser no seu quarto?
-Pode.

Subimos e no caminho Tarik não disse uma palavra, nem olhava para mim. Abri a porta do quarto, entramos e ele fechou a porta com tudo.

-O que você pensa que está fazendo, seu moleque? – Tarik gritava
-O quê? Tá louco?
-Você que está louco. Você é idiota, Taylor? Por que fez isso com ela? E todo o amor que disse que sentia? Você dizia que estava apaixonado.
-Dá para parar de gritar. Fiz o quê?

Tarik foi até o criado mudo e pegou os pacotes de camisinha que eu tinha esquecido. Puta que pariu! Pensei.

-Você tá vendo isso aqui? Pois é, acha que a Carol é cega? Ela viu isso aqui no criado mudo e viu a porta do banheiro fechada. Logo, tinha alguma vadia aqui com você.
-Ela viu? Oh Deus, não..
-Não coloque o nome de Deus nas merdas que você faz. Quem era, Taylor? Não, espera ai, deixa eu adivinhar… a produtora metida a adolescente?

Sentei na cama e a ficha começou a cair.

-O que ela disse, Tarik? – perguntei quase sem voz
-Pediu para eu vir aqui confirmar se ela tinha enxergado direito e se você estava com outra mesmo.
-E o que vai dizer?
-A verdade?
-Deixa eu explicar para ela.
-Ela disse que se for verdade, para eu não deixar você se aproximar dela.
-Oh merda! – gritei e dei um soco na parede.
-Quebrar a mão só vai te atrapalhar.

Comecei a chorar. Eu nunca, nunca chorava, para nada. Mas a sensação de perdê-la para sempre era muito ruim, quase insuportável.

-Não adianta mais, Taylor. Você deveria ter pensado nisso quando resolveu ter um caso com a tal de Melanie.
-Eu amo a Carol - disse com as lágrimas dominando o meu rosto.
-Não ama, se amasse não teria feito isso.
-Amo sim! Amo! E agora?
-Agora você está livre para viver a sua vida, não é isso que você quer? Transar com qualquer uma?
-Eu vou lá me explicar - eu disse e sai na direção do quarto de Tarik.





*** Carol POV ***





-Carol? Levanta, por favor - pediu Rose.

Eu ainda estava imóvel no chão, tentando assimilar o que estava acontecendo. Limpei o rosto e fiz o que Rose pediu. Sentei no sofá que havia no quarto.

De repente, Tarik entra e me olha. Não diz absolutamente nada, mas o seu olhar já diz muita coisa. Eu levantei e falei:

-É verdade não é, Tarik? Tinha alguém lá, não tinha? – ainda perguntei.

Ele não respondeu, mas eu já sabia que quem cala consente. Comecei a chorar de novo, mas me controlava para não surtar. Continuei imóvel.

-Ele está aqui fora. Quer falar com você - Tarik disse.
-Filho da puta, cara de pau! – gritou Rose.
-Rose! Isso não é da nossa conta – Tarik continuou. – Ele pode entrar, Carol?

Continuei do mesmo jeito. Parada, só deixando as lágrimas escorrerem.

-Sim, ele pode entrar – respondi.
-Carol! – Rose disse espantada.
-Vai ser a última vez na minha vida que eu falarei com ele, mas eu preciso escutar dele o porquê – falei.

Tarik puxou Rose para fora do quarto. E eu continuei parada, exatamente onde estava. E por um segundo, lembrei da nossa última conversa ao telefone.





~Flashback ON~



-Alô? Oi, linda.
-Oi! Como foi o seu dia?
-Cansativo. E o seu?
-Com saudade.
-Vamos nos ver em breve.
-Quando? Tem certeza que não é melhor eu não ir até ai?
-Ahm… tenho! Estou chegando tarde no hotel todos os dias.
-Ah… tudo bem. Quando tiver uma folga, vem me ver de novo.
-Claro… eu estou com saudade e amo você.
-Eu também amo você.





~Flashback OFF~





*** Taylor POV ***



Fiquei na porta esperando uma resposta de Tarik. Finalmente ele e Rose sairam do quarto. Ele me olhou como quem diz “pode entrar”, mas Rose disse em alto e bom som:

-Seu traidor de merda.

Quando ouvi isso comecei a chorar de novo, mas limpei as lágrimas antes de entrar. Entrei e a vi. Ela estava parada, chorando, estava imóvel.

Fechei a porta e disse:

-Eu sei que você nunca vai me perdoar, mas eu preciso explicar o inexplicável.

Ela continuou imóvel e não disse nada.

-Eu a conheci aqui em Santa Fé. Ela é produtora e… aconteceu… eu juro que ia fazer alguma coisa, mas eu amo você e não queria terminar! É egoísta, eu sei, mas eu não consegui evitar. Foi bem mais forte do que eu.

Ela continuava me olhando e chorando, sem dizer nada.

-Eu só quero o seu perdão. E se você me perdoar eu quero muito fazer diferente, porque eu simplesmente não posso viver sem você.

Ela não dizia nada e eu comecei a ficar nervoso. Seria o fim…

-Eu fui fraco, covarde, mas todo mundo merece uma segunda chance.

Percebi que as mãos dela estavam fechadas. Como se fosse me bater até a morte.

-Fala alguma coisa, por favor - pedi.

Ela me olhou e suspirou enxugando as lágrimas.

-Quero que mantenha a Gloria na sua casa.

Olhei sem entender, mas rapidamente entendi o que ela queria dizer.

-Ela precisa desse trabalho, não a mande embora.

Oh Deus, ela não estava se despedindo para sempre, estava? Me aproximei mais e fui interrompido:

-Não se aproxime de mim.

Parei onde estava e não pude conter o choro.

-Hoje é a última vez que você pronuncia o meu nome ou fala comigo. É a última vez que você vai me ver. Não fale de mim, dos meus pais ou dos meus amigos. Esqueça que um dia me conheceu.
-Não, por favor, não - foi o que consegui dizer, chorando.
-Amanhã tirarei minhas coisas do apartamento e deixarei a chave com Tarik.
-Por favor, me dá uma chance! – pedi em desespero.
-Se alguém da imprensa perguntar, direi que decidimos seguir caminhos diferentes, mas quero que saiba que mentirei pelo respeito que tenho pelos seus pais e por Makena.

Eu não aguentava mais ouvir.

-Agora sai daqui - ela disse com a maior frieza do universo.

E então eu já havia entendido. Nunca eu teria o seu perdão. A única mulher que eu amei de verdade me odiava profundamente.

-Eu sempre vou amar você, independente de qualquer coisa ou com quem eu esteja, sempre será você - eu disse aos prantos.

Ela continuou imóvel. De repente, a porta do quarto abriu. Tarik e Rose entraram.

-Tudo bem, amiga? – disse Rose se aproximando dela.
-Sai daqui! – gritou Rose.
-Vai, Taylor - Tarik disse me olhando com pena.



Então eu a olhei mais uma vez e saí do quarto chorando como uma criança.

Um comentário:

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA