04 dezembro 2017

Fanfiction: A Viagem - Capítulo 31




~ Pov de Dany ~

Assim que comemos a nossa comida, fomos trocar de roupa para irmos ao shopping. Primeiro fomos a uma loja de roupas e ele foi pegando alguns vestidos e me entregando e rapidamente fomos até o provador. Fui vestindo um por um e ele apenas me olhava sério, até que depois da 5° prova ele optou por um vestido vermelho na altura da coxa, não era muito curto e confesso que ele tem bom gosto.


Depois fomos para uma loja de sapatos e ele preferiu um salto de tiras na cor preta. Fomos a uma joalheria e ele me pediu para olhar a vitrine e pegar algo que eu gostasse, mas preferi apenas ficar olhando. Eu estava distraída quando sinto ele me abraçar por trás e me dar um beijo no pescoço.

_ Gostou de alguma coisa?

_ São todos lindos...

_ Hey, nada de modéstia. Quero que você escolha algo.

_ Não quero que fique gastando assim comigo, essas coisas são muito caras e...

_ Relaxa, amor... Pense que isso é apenas um mimo pra minha garota. – Ele disse, jogando uma piscadela.

Logo ele me ajudou a escolher uma linda gargantilha de ouro branco, simples porém linda. A atendente pegou o cartão de crédito dele e foi efetuar o pagamento.

_ Não tenho nem noção de quanto custa isso, mas... Posso guardar no meu porta joias ou devo colocar direto no cofre?

_ É melhor no cofre, acredite, isso vale uma fortuna.

_ O que eu disse de gastar comigo? Não achei que a gargantilha fosse tão cara assim. Deus, eu nunca vou entender dessas coisas. – Eu disse revirando os olhos.

_ Pare de reclamar e vamos logo antes que algum fã histérico apareça. – Ele disse rindo.

Depois de andar mais um pouco fomos a uma loja de lingerie, depois cosméticos para eu pegar perfume, maquiagem e finalmente voltamos. Ficamos a tarde toda entre ver filmes, comer bobeiras até a hora de irmos nos arrumar.

Fui tomar um delicioso banho de banheira para relaxar, eu estava nervosa, pois hoje está sendo a primeira vez na vida que vou dormir fora, especificamente na casa do meu namorado. Assim que saí, me enrolei na toalha e a roupa já estava na cama.

Vinte minutos depois eu já estava devidamente pronta, tive que caprichar na maquiagem, nada pesado, porém eu tinha que estar apresentável ao lado dele.



[...]



~ Pov de Hellen ~



Não sei o que era pior, estar de castigo por tentar ajudar meus amigos, ou estar de castigo e ter o arrependimento de não ter socado a cara da Nathaly como ela merece. Assim que cheguei ao escritório do meu pai ele já estava sabendo do que havia acontecido comigo e nem me deixou explicar nada. Ele falou por duas horas massacrantes o quanto isso era ruim para meu currículo e depois de tanto sermão ele pegou meu iPhone, retirou a minha internet, me proibiu de sair de casa e de falar com o pessoal.

Sei que meu pai vai me deixar falar e me compreender, mas isso vai levar um tempo, e nessa confusão toda estou aqui sem falar com a Karyn ou avisar a Danny do que pode vir a acontecer. Eu só terei uma chance, nesse fim de semana onde irei com a minha mãe ao leilão da senhora Dansky, fiquei sabendo que a Danny irá, não poderei estragar essa oportunidade.

Dois dias depois do ocorrido, eu estava em meu quarto lendo o jornal (sim pasmem, eu gosto de ler jornal) quando meu pai entrou em meu quarto serio como sempre, sentou-se ao meu lado.

_ Por que você não é uma garota normal da sua idade?

_ Porque puxei a você. – Eu disse sem desviar o meu olhar do jornal.

_ Eu queria ver você se divertir, e não fingir que é uma adulta sempre.

_ Mas eu me divirto papai, acredite. Só porque não estou sempre na balada não quer dizer que eu não me divirta.

_ E esse jornal?

_ Gosto de saber o que anda acontecendo. Já basta às pessoas acharem que sou patética sendo uma patricinha. Eles pensam que minha vida é fazer compras e ficar na farra, e não é bem por aí... Eu tenho conteúdo, mas isso eles não veem.

_ E desde quando você se importa com o que os outros pensam de você?

_ Eu não me importo, mas às vezes o que ouço machuca demais.

_ Certo... Não deixe essas pessoas te colocarem pra baixo. Deixe-os conhecerem a mulher incrível que você é.

_ Estou tentando, papai, mas está difícil. –Eu disse desanimada.

_ E sobre a suspensão... Sei que você não faria algo estúpido pra arruinar o seu futuro... O que houve de fato?

_ O que deu no senhor? Sempre demora pra baixar a guarda.

_ Estou tentando mudar, sua mãe diz que estou ficando um velho ranzinza. –Ele disse rindo.

_ O senhor não é velho e nem ranzinza. –Eu disse dobrando o jornal e o colocando de lado.

_ Mas me conte o que houve?

_ O senhor sabe que eu não suporto coisa errada e acabei descobrindo umas coisas que me tirou realmente do sério.

_ Quem aprontou com você dessa vez?

_ É uma garota que já tentou me atravessar quando estava no colégio. De início eu não a reconheci, ela está bem diferente fisicamente. Ela é daquelas garotas sanguessugas, sabe. Que gruda pra tentar aparecer? Ela sempre quis estar com os populares, mas eu nunca deixei, porque logo reconheci o tipo de pessoa que ela é, que é capaz de fazer barbaridades pra conseguir estar no topo.

_ Esses tipos de pessoas são os piores, já tive muitos problemas com pessoas assim tanto na escola quanto na Universidade.

_ Essa garota já está passando dos limites, entende? Tipo que tem uma garota nova, ela é filha da esposa do senhor Dansky e meio que acabei fazendo amizade com ela. Confesso que de início eu me aproximei dela pra saber o que rolava entre ela e o Henrique, mas aí acabei a conhecendo melhor e vi que ela é um amorzinho de pessoa, entende? Como meio que peguei amizade com ela a Nathaly tentou se aproximar por causa do nosso status e eu sempre a cortei, só que ela descobriu outra fonte para a sua tão sonhada popularidade.

_ Do jeito que você fala...

_ Essa garota com quem fiz amizade tá saindo com alguém famoso, e é obvio que eles querem privacidade, mas essa Nathaly está armando para que descubram, tenho certeza que ela está fazendo isso pra se aparecer.

_ Como a melhor amiga da namorada desse famoso?

_ Isso! Então o senhor entende o que estou passando, não é? Eu fiquei possuída quando eu a vi conversando com uma garota que faz jornalismo, ela está aprontando e sinto que como amiga da Danny eu tenho que alertá-la.

_ E por que você não diz a sua amiga o que está acontecendo?

_ Não é tão fácil, papai. Como eu disse as pessoas pensam o pior de mim por eu ser uma patricinha, sempre estamos juntas, mas não é como se fossemos melhores amigas. Sinto que tem uma barreira muito grande entre nós e meu medo é esse, contar a verdade pra ela e ela achar que estou sacaneando e virar a cara pra mim.

_ Tenta falar com alguém próximo a ela, quem sabe isso não ajuda.

_ Eu não sei ao certo, mas quem poderia ajudar também tem problemas com ela. Eu não sei o que acontece no mundinho dela porque ela não se abre comigo.

_ Você já tentou o inverso?

_ Como assim?

_ Chegue nela e se abra, ganhe a confiança dela, quem sabe assim você consiga algo.

_ Bem pensado... Preciso combinar isso com a Karyn quando eu voltar.

_ Tome. – Ele disse me entregando meu iPhone. – Vá ajudar sua amiga, só não se meta em mais confusões, ok.

_ Ah, obrigada papai! – Eu disse abraçando e beijando meu pai. – O senhor é o melhor pai do mundo!

_ Tudo bem, querida. – Ele disse rindo. –Só me prometa uma coisa.

_ O quê?

_ Se as coisas ficarem sérias, que você vai me contar? Não quero você metida em encrencas, ok

_ Pode deixar, papai.

Agora eu teria que ligar para Karyn e contar a ela o que está acontecendo para que juntas possamos colocar o meu plano em prática.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA