10 março 2018

Fanfiction: O Gatoro Da Casa Ao Lado - Capítulo 2






Entrei na sala e me deparo com o garoto que acabará de se tornar meu novo vizinho, ele estava sentado uma cadeira depois da minha, sua cabeça está baixa, concentrado em algo no seu celular. Ando devagar até minha cadeira e me sento. Derek se senta ao meu lado e puxa papo comigo.


- Novo vizinho, novo colega de sala. - olho para ele e confirmo. Amanda e Vick entram na sala e logo reparam no aluno novo, e como duas boas biscates.


- Oi, prazer, me chamo Victoria e você? - Vick estende a mão para o novato que apenas olha e depois volta sua atenção para o celular.

- Nossa, o gato mordeu sua língua, gatinho? - Amanda pergunta esnobe. O aluno novo, de novo, olha para ela e depois a esnoba. Olho para Derek, sem conter meu riso.

- O que foi, sua lesada? - Vick pergunta, olhando pra mim. Limpo minha garganta tentando conter o riso.

- Nada, Derek estava apenas me contando uma história muito engraçada. - respondo. 

- E sobre o que era? - Amanda pergunta.

- É sobre duas vadias e seus inúteis esforços para seduzir o aluno novo. Sabe como é, o de sempre. - aponto para as duas e novamente Derek e eu rimos, desta vez alto. Amanda bufa irritada. Vick vinha na minha direção quando a professora entra na sala e manda as duas se sentarem.

- Isso não acaba aqui, lesada. - Vick me ameaça.

- Ui, espera, vou ali preparar meu psicológico. - digo e desta vez todos da sala me acompanham, exceto o aluno novo. 

- Senhorita Mitchel, menos, por favor. - cesso meus risos e bato nas costas de Derek para que ele para com o dele. 


Professora O'Donner chamou nossa atenção para anunciar nosso novo colega de sala, ela pede para que ele se levante e, relutantemente, ele cede. 


- Classe, esse é o novo colega de aula de vocês. Nicolas Parker. - ela apresenta e ele continua encostado na cadeira sem esboçar nenhuma reação. - Gostaria de dizer algumas palavras, senhor Parker? - ele nega e depois se senta. Professora O'Donner parece ter ficado sem jeito e apenas pede para que nos juntemos em dupla.


- Nicolas, por favor, faça dupla com a senhorita Mitchel. - olhei incrédula para ela. 


Como assim fazer dupla comigo? 


- Professora, eu sempre faço dupla com o Derek. - Derek também protesta, porém ela não volta atrás e me manda sentar ao lado do novato. 


Vou a passos lentos até a mesa onde o garoto está e me sento ao seu lado.


- Oi. - puxo conversa e ele não me responde. Olho pra trás e vejo Derek sentando com Vick. Reviro os olhos quando vejo ela mexendo nos fios de cabelo dele, ele me olha pedindo socorro e eu faço o mesmo. - Você é mudo? - perguntei inocente. Nicolas me olha por uns instantes. Seu olhar tenso e cerrado se encontra o meu, esperando sua resposta. - Isso é pra me por medo? Porque já te digo logo que não tenho medo de nada. - ele me olha por mais algum tempo.


- Não quero papo, faça sua tarefa e eu faço a minha. - ele diz. Ele falou! 


- Caramba, você fala. - disse irônica. Por um segundo vi seus lábios se contorcerem em um pequeno sorriso.


Sorri de lado e me virei para frente, onde a professora já explicava nossa tarefa.


- Hoje faremos um experimento simples, turma. Faremos uma síntese do complexo de Níquel - O'Donner começa explicando, quando Vick a interrompe.


- isso ai é nome de gente? - Vick pergunta. 


- Não, é o nome da burrice, sua loira.


Jordan, um dos nossos colegas, diz provocando risos em todos, especialmente em mim e até em Nick. 


- Calem-se pessoal, voltem sua atenção aqui.- professora retoma a explicação. 


- Você sabe fazer isso? - pergunto a ele.


- Sim, é fácil. - Nicolas responde seco. 



Passamos metade da aula em nossos experimentos. Vez ou outra nossas mãos se tocavam, eu reagi normal, já Nick parecia que sempre que acontecia era como se tivesse levado um choque. Faltando dez minutos para acabar a aula, a professora O'Donnel veio ver nosso experimento. Ela avaliou e nos deu nota A+, bati palmas feliz da vida e me virei para Derek que bufava.


- B - - ele respondeu cochichando. Olhei pra Vick que estava serrando as unhas.


- Seu namorado? - Nicolas me pergunta. Viro-me pra ele e respondo.


- Não, ele é meu melhor amigo, e é amigo do meu namorado também. 


Peguei minha mochila e comecei a guardar minhas coisas, Nicolas fazia o mesmo.


- Eu te vi hoje - parei o que estava fazendo e com meu rosto vermelho pimenta, virei pra ele e sorri forçado.


-Desculpa, eu não faço isso, juro. Eu... é só que... - comecei a gaguejar, quando ele me corta.


- Tudo bem. - ele disse neutro. Olhei outra vez pra ele e me desculpei outra vez. - Prazer, Nicolas. - ele se apresenta, cortando o clima tenso.


-Katherine, mas pode me chamar de Kath. - sorri. - posso te chamar de Nick? - ele pensou um pouco e por fim sorriu concordando.


- Ta bom, eu vou indo, estou de ônibus hoje. - Nick diz colocando a mochila nas costas.


- Eu posso pedir ao meu irmão que te dê carona, meu carro está na oficina.


- Obrigado, mas não, o meu está em casa, eu tenho que concerta umas coisas e amanha já venho com ele. - Nick passa por mim e para a minha frente. - Te vejo mais tarde, garota bisbilhoteira. - ele sorri de lado e eu mordo meus lábios, evitando um riso.


Derek e eu saímos juntos da aula, logo no pátio encontramos nossa trupe. Corro em direção a Nathan que já me esperava de braços abertos.


- Senti sua falta. - disse quando paramos de nos beijar.


- Eu senti mais, docinho. - Nathan diz me beijando outra vez.


- Ah meu, qual foi, ela é minha irmã. Me respeita, porra. - Steven diz, jogando uma garrafa vazio em nós dois.


Depois de conversar balelas, voltamos todos pra casa. Derek estaciona seu carro na nossa garagem, desço do carro e meu celular toca, é uma mensagem de Nathan.


Respondi ao meu namorado e quando ia entrando em casa, vi Nick abrindo a garagem da sua casa. Ele voltou para dentro e começou a mexer em seu carro.


-Uau, ele dirige um Opala. - Steven aparece atrás de mim. Levo um susto, mas logo me recomponho.


- Maneiro o caro dele. - digo. Steven concorda e me chama pra entrar. Antes de entrar em casa, dou mais uma olhada básica e vejo que nick também olha para mim. Sorrio para ele e o mesmo apenas acena com a cabeça. Entro em casa, sendo recebida pelo cheiro do arroz de forno da minha mãe.


- Meu Deus, mãe! Você quer me engordar? Eu tenho que estar em forma para o campeonato. - olho com os olhos gordos para a mesa farta de comida. Minha boca salivando pelo arroz de forno.


- Come pouquinho, não precisa se entupir. - mamãe me da um beijo na testa e vai para cozinha.



Subo para meu quarto, deixo minha mochila no canto, me desfaço das minhas roupas e entro no banho. Minutos depois, banhada e ajeitada, ligo para Nathan, conversamos por alguns minutos enquanto meu pai não chegava em casa. Sempre fazemos nossas refeições juntos, papai faz questão. Conversei sobre Nick com Nathan e como imaginei ele ficou com ciúmes. Acalmei meu namorado com palavras carinhosas e quando meu pai chega, me despeço de dele.


- Falta muito pra chegar amanhã? Eu quero te ver logo - riu com sua pressa. - Você sabe que dia é amanhã, não é, amor?


-Sim, eu sei sim, é o nosso dia. - amanhã Nathan e eu faremos dois anos de namoro. Queria poder dar um presente mais inusitado a ele, mas não consigo ainda, sempre travo na hora e morro de vergonha.


- Eu te amo Kath docinho.


- eu também te amo.


Desliguei o telefone e deitei fitando o teto.



Nathan é sempre atencioso, nunca me pressionou a nada, nunca fomos além na nossa relação. Talvez por meu pai viver no seu pé. Nathan queria perder a virgindade só depois do casamento, mas Alicia chegou antes e numa festa em que todos, incluindo eu, estávamos bêbados, ela se aproveitou e os dois acabaram transando. Nathan ficou mal por dias.



Eu tenho sorte de tê-lo em minha vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário! A sua opinião sobre as fanfics é muito importante para que os autores continuem escrevendo. Fale sobre o mais gostou, sobre o que espera ler nos capítulos seguintes. Comente sobre seus personagens favoritos e os que mais detesta. Não deixe de comentar, seja mais ativo e evite que as fanfics entrem em hiatos por desmotivação da autora em escrever. Não seja um leitores fantasma. Comente agora mesmo!

DEIXE SEU RECADO!

SITE DE NOTICIAS - TAYLOR LAUTNER MANIA